Qual a Importância do Monitoramento da Poluição do Ar?

A poluição do ar é qualquer forma de energia ou matéria (gases e/ou partículas sólidas ou liquidas) em concentrações elevadas que podem causar problemas de saúde ou doenças aos seres humanos, plantas, animais e ecossistemas em geral. Pode ainda reduzir a visibilidade urbana, provocar odores desagradáveis e corrosões em estruturas e obras de arte.

Milhões de toneladas de poluentes são lançados na atmosfera todos os anos pelas indústrias

Milhões de toneladas de poluentes são lançados na atmosfera todos os anos pelas indústrias

Os estudos sobre a poluição atmosférica são relativamente recentes devido ao desconhecimento e também ao fato de termos a falsa impressão que pela enorme quantidade de ar e pelo tamanho da atmosfera esse tipo de poluição não nos afeta.

De modo geral, pode-se dizer que as consequências para a saúde humana decorrentes da poluição atmosférica têm sido amplamente estudadas desde meados do século XX, no qual podemos destacar dois incidentes.

O primeiro aconteceu em Donora, Pensilvânia (1948), devido à intensa poluição industrial e um episódio de inversão térmica, onde os gases tóxicos foram aprisionados no vale do rio Monongahela. Durante cinco dias de incidente, metade da população da cidade teve grave incidência de problemas nos sistemas respiratório e circulatório, totalizando 40 mortes.

Outro desastre que repercutiu globalmente ocorreu durante o inverno de 1952 em Londres. A intensa atividade industrial e a combustão do carvão para o aquecimento residencial propiciaram um forte episódio de smog (nevoeiro ou neblina combinado com fumaça e outros poluentes atmosféricos), o qual comprometeu a visibilidade e a população ficou exposta e constantemente respirando os gases tóxicos. Esse incidente matou mais de 4000 pessoas.

Poluição do ar causado pelo smog em 1952 na cidade de Londres que causou aproximadamente 4000 mortes.

Poluição do ar causado pelo smog em 1952 na cidade de Londres que causou aproximadamente 4000 mortes.

Praticamente todos os setores da economia emitem poluentes atmosféricos, podendo citar as atividades agrícolas (uso de inseticidas, pesticidas e fertilizantes), exaustão das fábricas e indústrias, mineração (poeira e produtos químicos), poluição do ar em locais fechados (produtos de limpeza e materiais de pintura são exemplos que liberam produtos químicos tóxicos no ar) e queima de combustíveis fósseis (especialmente no transporte urbano).

As consequências imediatas para o poder público sobre os locais com altos índices de concentração de poluentes estão diretamente ligadas ao aumento de consultas médicas, internações hospitalares e uso de medicamentos, visto que o reflexo direto na saúde das pessoas que respiram o ar poluído são tosse seca, ardor e irritação nos olhos, nariz e garganta, cansaço e mal-estar. Está cientificamente comprovado que a longo prazo, pessoas constantemente expostas aos poluentes do ar estão mais suscetíveis a desenvolverem diversos tipos de câncer, destacando o câncer de pulmão.

Para minimizar essa situação, o órgão ambiental brasileiro está cada vez mais rigoroso com as emissões atmosféricas de veículos automotivos e industrias. Podemos destacar aqui no Paraná a implementação da Resolução no 016/2014 da SEMA que define critérios para o Controle da Qualidade do Ar para fontes industriais, comerciais e de serviços. Essa nova Resolução estabelece padrões de emissão, atendimento, condicionamento e metodologias que devem ser utilizadas para a determinação dos poluentes em dutos, chaminés e no entorno da fonte emissora.

Seguindo essa nova Resolução, a CMB Consultoria fornece serviços de monitoramento e controle das emissões atmosféricas das fontes industrias, principalmente para atendimento às condicionantes da licença emitida pelo Órgão Ambiental.

 

Referências:

BELL, Michelle L.; DAVIS, Devra L.; FLETCHER, Tony. A retrospective assessment of mortality from the London smog episode of 1952: The role of influenza and pollution. Environmental Health Perspectives, Pittsburgh, v. 112, n. 1, p. 6-8, jan. 2004.

JACOBSON, Mark. Air Pollution and Global Warming: History, Science, and Solutions. 2. ed. Nova York: Cambridge University Press, 2012.

KJELLSTROM, Tord; LODH, Madhumita; MCMICHAEL, Tony; RANMUTHUGALA, Geetha; SHRESTHA, Rupendra; KINGSLAND, Sally. Disease Control Priorities in Developing Countries. 2. ed. Washington (DC): World Bank, 2006.

VALLERO, Daniel, A. Fundamentals of Air Pollution. 4. ed. Burlington: Academic Press, 2008.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*